Categoria:Últimas notícias

Assembleia aprova convênio de parceria com a UCEFF

Em reunião realizada neste dia 13 de abril, os membros do Instituto aprovaram a possibilidade de firmar convênio de parceria com a UCEFF a fim de difundir e promover a educação. A proposta foi apresentada pelo professor Cleonir Paulo Theisen com aval da assessoria jurídica.

A assembleia também aprovou a locação de sala comercial e contratação de colaborador para atuar em busca de novas fontes de recursos para o Instituto, além de acompanhar a execução dos projetos encaminhados via Sebraetec.

Conforme o diretor administrativo, professor Sadi Reckziegel, o Instituto tem a finalidade de promover o desenvolvimento regional e a proposta apresentada pela UCEFF vem de encontro a esta possibilidade, com apoio aos eventos e projetos desenvolvidos pela instituição de ensino superior.

CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA

O Diretor Administrativo do  IFAI, Sadi Jose Reckziegel, no uso das suas atribuições, convoca os membros da Diretoria, Conselho Fiscal e demais associados para reunirem-se em Assembleia Geral Ordinária, em primeira convocação as 13h45 do dia 13 de abril de 2022, em segunda e última convocação com qualquer número de associados as 14 horas, tendo como local a sala de reuniões das coordenações, do bloco A, na Rua Carlos Kummer, número 100. Bairro Universitário, município de Itapiranga Santa Catarina, para deliberar dos seguintes assuntos: Proposta de convênio/parceria com a UCEFF Itapiranga; Locação de espaço físico; Contratação de colaborador; Assuntos gerais de interesse do IFAI.

Itapiranga/SC, 5 de abril de 2022

Sadi Jose Reckziegel

Diretor Superintendente

Instituto promove assembleia

Nesta quarta-feira (9/2) estiveram reunidos os membros do Instituto para assembleia ordinária com escolha de novos membros para diretoria, além de apresentação de relatório de atividade do último ano e assuntos gerais. A Diretora Executiva, professora Nathalia solicitou afastamento do Instituto e por este motivo a função será ocupada pelo professor Sadi Reckziegel, com apoio do professor Kurlan Frey como secretário executivo e o professor Cleonir Theisen como diretor administrativo/financeiro. Os professores Eder Luis Heberle, Sirlei Schauren Becher e Rosiane Oswald Flach, são os conselheiros efetivos, enquanto na suplência ficaram Carlos Henrique Mallmann, Bruna Luisa Werlang e Maria Preis Welter.

Projeto-piloto busca melhorar eficiência na bovinocultura leiteira

Gerenciamento econômico, de qualidade e processos são as áreas de atuação previstas no projeto-piloto lançado, nesta semana, em Itapiranga, no extremo oeste catarinense. A iniciativa trata-se do Planejamento e Controle Gerencial em Empreendimentos de Produção Leiteira.Essa ação é desenvolvida pela parceria do Sebrae/SC, da Prefeitura de Itapiranga e do Instituto de Desenvolvimento Regional (IFAI). Os recursos para execução são provenientes do Programa de Consultoria Tecnológica do Sebrae (Sebraetec).

O projeto-piloto é uma complementação do trabalho realizado nos últimos anos para certificação das propriedades rurais como livres de tuberculose e brucelose.Atuarão no projeto-piloto os profissionais: Lazie De Col (gestão), Ramiro Martins Bonotto (reprodução), Flávio Biazus (manejo e qualidade do leite) e Valdair Miguel Dammer (manejo e qualidade do leite). Também contribuirão na atuação no extremo oeste mais oito médicos veterinários.

No gerenciamento econômico serão abordadas as temáticas de custo de produção, movimento de caixa, lucratividade, rentabilidade, custo médio unitário, prazo de retorno do investimento e fluxo de caixa. Para o gerenciamento sanitário serão trabalhados o manejo sanitário e a qualidade de leite (CCS, CBT, resíduos, sólidos totais, gordura e proteína). No gerenciamento de processos acontecerão consultorias reprodutivas, manejo nutricional e cronograma vacinal preventivo.

“A maior dificuldade encontrada para melhorar a qualidade do leite produzido no município é ter acesso às informações internas. Poucos empreendimentos têm algum método de controle, por isso esse projeto-piloto busca melhorar a eficiência”, explicou o consultor credenciado ao Sebrae/SC, Lazie De Col.Para atender essa demanda está em desenvolvimento um software de indicadores de desempenho para todos os índices, determinando o plano de ação, objetivo e meta a ser atingida.

A proposta integra tecnologias e gestão com resultados práticos. “Com esses dados em mãos é possível visualizar toda a propriedade por meio das planilhas e com isso reduzir os impactos negativos que evitam o crescimento da lucratividade da atividade”, comentou o coordenador e professor do curso de Medicina Veterinária da UCEFF, Ramiro Martins Bonotto.

O diretor técnico do Sebrae/SC, Luc Pinheiro, ressaltou que não há economia sem que o empreendedor rural possa produzir e gerar riquezas e empregos. “Este projeto chama muito a atenção e é extremamente necessário que prossiga. A próxima provocação para os idealizadores é que ele chegue rapidamente para todos os empresários rurais, pois quando melhoramos a gestão conseguimos mais retorno financeiro”, argumentou.O reitor da UCEFF Itapiranga, Leandro Sorgato, agradeceu a parceria do Sebrae/SC e reforçou a intenção da instituição em mantê-la para executar a missão de sempre avançar.

PROJETOS EM EXECUÇÃO

Até o momento foram atendidas 452 propriedades rurais nos municípios de: Belmonte, Caibi, Campo Erê, Descanso, Guaraciaba, Itapiranga, Mondaí, Palma Sola, Palmitos, Riqueza, Saltinho, Santa Helena, Santa Terezinha do Progresso e São Bernardino. Os investimentos realizados ultrapassam R$ 2 milhões.Em Itapiranga foram atendidas 200 propriedades, com 120 certificadas, 8 em saneamento e 72 em processo de certificação.As principais vantagens, segundo De Col, são atendimento da legislação específica, saúde pública, melhoria da posição no mercado, aperfeiçoamento do processo e do produto, incremento no percentual de faturamento, diferenciação do produto e acesso ao mercado internacional.

Levantamento das entidades aponta que o retorno esperado para este ano é de R$ 3,1 milhões, com R$ 1,2 milhão na produção de leite de Itapiranga, R$ 980 mil dos demais municípios e R$ 900 mil com aumento de 15% no número de bezerros desmamados e no gado de corte do município. 

Acompanhe mais notícias do Sebrae/SC na Agência Sebrae de Notícias

TV Fecoagro grava matéria sobre projeto de erradicação da brucelose e tuberculose

Na última semana (24/05) esteve na região a TV Fecoagro a fim de gravar reportagem sobre o projeto desenvolvido pelo Instituto, com aporte de recursos do Sebraetec e apoio das secretarias municipais de agricultura. O prefeito de Itapiranga, Alexandre Ribas, participou da gravação da matéria sobre o projeto de erradicação da brucelose e tuberculose. Atualmente, Itapiranga é referência no Estado com cobertura de 70% das propriedades e 45% do plantel de gado leiteiro atendido com o projeto.

O Instituto de Desenvolvimento Regional FAI (IFAI), credenciado junto ao Sebraetec, está desenvolvendo o projeto na região, através da empresa Proplace, a fim de prestar consultorias aos empresários rurais. O projeto também conta com o apoio da Cidasc. O prefeito parabenizou todos os envolvidos, enaltecendo que os benefícios proporcionados são notórios, aumentando a rentabilidade dos produtores.

Itapiranga tem projeto pioneiro para eliminação da brucelose e tuberculose

O município desenvolve o maior projeto do SebraeTec na área do agronegócio em Santa Catarina

Aumentar a lucratividade do produtor, por qualidade e comprovação de sanidade é o objetivo das consultorias tecnológicas em gado de leite no município de Itapiranga, no extremo oeste catarinense. O projeto é desenvolvido em parceria do Sebrae/SC, da Prefeitura de Itapiranga e do Instituto de Desenvolvimento Regional FAI (IFAI), com o apoio da Cidasc. O termo de cooperação técnica foi renovado, nesta semana, no gabinete do prefeito Jorge Welter. Os recursos para execução são provenientes do Programa de Consultoria Tecnológica do Sebrae (SebraeTec).

As consultorias consistem em avaliar a sanidade, revisão dos cadastros do plantel no órgão competente, a conferência do inventário de rebanho, a coleta de amostras de sangue para o diagnóstico laboratorial, verificação da reação e finalização do laudo conclusivo negativo para iniciar o processo de certificação da propriedade como livre de tuberculose e brucelose.

Entre os benefícios das ações estão atendimento da legislação específica; garantia de saúde pública (humana e animal); melhora no posicionamento de mercado, da qualidade do processo, do produto; segurança nos investimentos; modernização e ampliação da atividade; aumento no faturamento e diferenciação do produto/serviço.

Conforme o diretor técnico do Sebrae/SC Luc Pinheiro esse é o maior projeto do SebraeTec na área do agronegócio no Estado. “Os investimentos representam o quanto acreditamos nesse projeto, que tem proporcionado excelentes resultados. E já começamos a refletir sobre os desdobramentos seja para auxiliar os produtores a comercializarem as matrizes para produção de leite (novilhas) ou contribuir no aumento da competitividade dos produtos lácteos”, analisou.

“A renovação dessa parceria é mérito do trabalho desenvolvido. Itapiranga criou um capital social que dá embasamento para um futuro crescimento promissor. Isso é fruto do entendimento da Administração Municipal sobre a importância de ser indutora do desenvolvimento. Parabenizo as lideranças locais por ter essa visão ampliada” enfatizou o gerente regional do Sebrae/SC no extremo oeste Udo Martin Trennepohl.

De acordo com o prefeito de Itapiranga, Jorge Welter, é comum ver nas propriedades rurais dos municípios filhos dos empresários rurais formados em Administração, Agronomia ou Medicina Veterinária. “Isso comprova o interesse em realizar a sucessão familiar e aprimorar as atividades desenvolvidas nas propriedades. Além disso, oportuniza mostrar que produzimos com excelência”, relatou.

Para o prefeito, os projetos executados para o desenvolvimento dessas cadeias produtivas não são para fazer de conta. “Decidimos utilizar os recursos para dar atenção ao setor produtivo e estamos focados em uma gestão de resultados. E começamos a colher esses frutos, pois em 2018 o município teve um movimento econômico de R$ 842 milhões, os dados de 2019 não foram concluídos, mas chegaremos aos R$ 900 milhões e para 2020 a meta é atingirmos R$ 1 bilhão, ganhos expressivos para um município com aproximadamente 17 mil habitantes”, enalteceu.

A bovinocultura leiteira de Itapiranga é composta por um plantel de 20.400 animais, sendo 16.300 vacas em lactação, com uma produção média de 12,27 litros/dia/animal, superior a média mundial que é de 9,66 litros/dia/animal e da média brasileira que é de 4,38 litros/dia/animal. Em 2018, a produção local foi de 60 milhões litros de leite, o que representou um faturamento de R$ 87 milhões.

RESULTADOS

No município de Itapiranga, em 2007, exerciam a atividade de bovinocultura leiteira 900 empresários rurais que produziram 30 milhões de litros/ano. Com o passar dos anos foi registrada uma redução do número de propriedades que exercem a atividade: em 2019 baixou para 624, porém ocorreu uma elevação na produtividade para 60 milhões de litros/ano.

As ações desenvolvidas no município para o fortalecimento dessa cadeia produtiva compreendem: consultoria de reprodução de gado de corte; certificação da propriedade livre da brucelose e tuberculose do gado de leite; e inovação e saneamento em gado de leite.

As 111 empresas rurais atendidas no saneamento e na certificação em 2019 obtiveram receita adicional de R$ 320 mil. Para este ano a meta é atender 300 empresários rurais com o projeto de “Desenvolvimento, saneamento e certificação da propriedade livre da brucelose e da tuberculose bovina na bacia leiteira”, com um investimento de R$ 450 mil. Esse esforço impactará em incremento no faturamento de R$ 900 mil/ano, segundo o secretário municipal de agricultura e meio ambiente Herwald Otto Trebien.

“É de extrema importância seguir com esse trabalho para manter o desenvolvimento do agronegócio. Nossa região precisa realizar ações que impactem o mercado e para ampliar a renda do empresário rural, que se sentirá motivado a continuar com a aplicação desses processos na propriedade, a fazer  investimentos e aprimorar cada vez mais sua atividade. Por isso, defendemos que o processo de certificação não é apenas fazer exames, mas sim levar conhecimentos ao campo”, justificou o consultor credenciado ao Sebrae/SC Lazie De Col.

Assinatura do termo de cooperação entre IFAI, Sebraetec e o município de Itapiranga

	

Instituto de Desenvolvimento Regional assina convênios com Sebrae

Representantes do Sebrae/SC, da Prefeitura de Itapiranga, da UCEFF e do Instituto FAI, durante formalização do convênio

Na tarde desta quarta-feira (7/8) o Instituto de Desenvolvimento Regional fez assinatura de três convênios com o Sebrae/SC para assessorar empreendedores rurais que produzem leite e derivados para obtenção do certificado de propriedade livre de brucelose e tuberculose. Esteve presente o Diretor Técnico do Sebrae, Luciano Pinheiro, o gerente regional do Sebrae, Udo Trennepohl, a diretoria do Instituto representada pela presidente, professora Nathália Berger Werlang, o pró-reitor administrativo, professor Cleonir Theisen, o prefeito de Itapiranga, Jorge Welter, e secretários municipais, representantes da empresa que irá executar os trabalhos, liderados pelo professor Lazie De Col, além dos produtores rurais que serão beneficiados pelo programa.

O mesmo programa também foi apresentado a noite no município de Caibi, e lá também conta com parceria da Prefeitura, UCEFF/Instituto de Desenvolvimento Regional, Secretaria Municipal de Agricultura, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Laticínios locais.

Presente nos dois eventos, o diretor técnico do Sebrae/SC, Luciano Pinheiro, destacou que o princípio do desenvolvimento de qualquer negócio, seja na área rural ou urbana, é aumentar a produtividade. Segundo ele, a bacia leiteira de Itapiranga que já vem se desenvolvendo há um bom tempo com resultados expressivos precisa dar um salto. “Isso vem com inovação e tecnologia não somente de maquinário, mas de gestão e processos, o que é fundamental para alcançar melhores índices de produtividade. Qualquer avanço que ocorra em produtividade gera, consequentemente, um ganho direto no bolso de quem empreende e esse é o princípio que queremos: buscar melhores ganhos para ter melhores sustentos aos negócios”.

Luciano Pinheiro complementou, ainda, que no atual cenário que marca a saída de um processo de crise e com o avanço econômico que se vislumbra, nada é mais importante que a valorização desses produtores que estão querendo melhorar sua condição de vida. “A economia promete um crescimento e nós precisamos estar preparados”.

Na visão do prefeito de Itapiranga, Jorge Welter, essa parceria do município com o Sebrae/SC, Cidade Empreendedora, Instituto e UCEFF vem ao encontro de uma política de desenvolvimento do setor agropecuário, principalmente, na atual fase do setor do leite. “Essas certificações de propriedades livres de tuberculose e brucelose são fundamentais para que o produtor tenha a garantia de obter um excelente produto, além da condição de poder negociar preço e venda de um item que está livre de tuberculose e brucelose”.

O prefeito complementou que os projetos surgiram para fomentar o desenvolvimento do município com a bacia leiteira e promover o movimento econômico com a venda de um produto melhor, promover o movimento econômico, mas principalmente cuidar da sanidade animal de forma que exista condições de apresentar um rebanho de qualidade em Itapiranga. “O projeto consolida as ações do Cidade Empreendedora. É mais uma etapa de tantas que fizemos e tantas que ainda temos pela frente. É a eficiência da condição que o Sebrae nos dá para melhorar o desenvolvimento econômico e sustentável do nosso município”, conclui o prefeito.

Para a presidente do Instituto, professora Nathália, a assinatura de mais três convênios com o Sebrae/SC para desenvolver trabalhos importantes na região, “atestam que estamos no caminho certo e precisamos seguir com as parcerias já firmadas. Além disso, esta é uma importante maneira do ambiente acadêmico poder contribuir com o desenvolvimento regional, por meio de projetos como este do setor leiteiro, que é uma das áreas de maior expertise do nosso Instituto”. Já o pró-reitor, professor Cleonir, agradeceu a confiança depositada na Instituição para fomentar projetos de tamanha envergadura e que garantem a melhoria da qualidade de vida do empresário rural.

Ações desenvolvidas

Em 2018, foi realizado o projeto de consultoria em reprodução e qualidade de leite Piracanjuba, com 78 empresários rurais beneficiados. Também foi executado o projeto de saneamento em gado de leite de Itapiranga, com a participação de 44 produtores.

Para 2019, estão previstas duas ações em Itapiranga, com investimento de aproximadamente R$ 310 mil. O primeiro é sobre saneamento, atualização e inscrição no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que abrangerá 1.192 horas de consultoria tecnológica em gado de leite no município para 61 empresários rurais. O segundo é a conclusão do projeto de saneamento com certificação das propriedades como livres de brucelose e tuberculose, que beneficiará 42 empresários rurais com 1.176 horas de consultoria e terá acompanhamento de 2.120 animais.

Números da bovinocultura leiteira em Itapiranga

O plantel leiteiro de Itapiranga compreende 20.400 animais, o que corresponde a 69,30% do rebanho do município, sendo 17.000 vacas em lactação, que têm uma produção média de 12,65 litros/dia/animal.

“Os números do setor impressionam ainda mais se comparados com a produção média mundial que é de 9,66 litros/dia/animal, conforme o Instituto de Estudos Pecuários (IEPEC), e da produção média brasileira que é de 4,38 litros/dia/animal, segundo o Sistema de Inteligência Setorial (SIS). Além disso, a produção de 2018 no município foi de 64,5 milhões de litros, com um faturamento de mais de R$ 80,6 milhões”, enalteceu o consultor credenciado ao Sebrae/SC, Lazie De Col.

Outro dado que comprova a importância econômica do setor para Itapiranga é a expansão da produção de litros de leite/ano, mesmo com a redução no número de produtores que desenvolveram a atividade nos últimos 10 anos. Segundo De Col, em 2007 exerciam a atividade 900 empresários rurais que tinham uma produção média de 30 milhões de litros/ano, já em 2018 o número de produtores reduziu para 662 e a produção dobrou para 64 milhões de litros/ano.

Desenvolvimento da bacia leiteira de Caibi

O terceiro projeto refere-se à certificação de propriedade livre de brucelose e tuberculose, com a participação de 32 produtores e acompanhamento de 2.500 animais. A iniciativa é do Sebrae/SC com recursos do Sebraetec, da Prefeitura Municipal de Caibi por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e laticínios locais. Estão previstas ações como a implantação de medidas de qualidade do leite e certificação de brucelose e tuberculose conforme legislação vigente. O objetivo é aumentar a lucratividade do produtor e majorar o preço médio de venda do produto por qualidade e comprovação de sanidade.

No projeto de saneamento para brucelose e tuberculose serão necessárias implantar as seguintes medidas: atendimento de legislação específica; melhoria da posição no mercado; aperfeiçoamento da qualidade do processo e da qualidade do produto; aumento no percentual de faturamento e lucro líquido e diferenciação do produto ou serviço. “O processo de certificação necessita de gestão de projetos, controle e planejamento, conforme normativa. Por isso, é fundamental o comprometimento e entendimento do empreendedor”, explicou o consultor credenciado ao Sebrae/SC.

O prefeito de Caibi, Elói José Libano, ressaltou que o programa valorizará as propriedades com a certificação e as adequações para melhoria na qualidade do leite produzido, o que resultará na ampliação no preço pago ao empresário rural. Outro reflexo benéfico será a credibilidade do setor perante ao mercado. “Nosso objetivo é auxiliar na expansão da bacia leiteira, uma vez, que temos muitos investidores para o segmento. Com melhoria da qualidade e da gestão das propriedades todos ganham: produtor, indústria, município e consumidor final”, destacou.

O gerente regional Extremo Oeste do Sebrae/SC, Udo Trennepohl, explicou que nos dois municípios foram utilizados recursos do Sebraetec, visando desenvolver a cadeia leiteira com foco na melhoria da rentabilidade das propriedades. “Tudo isso para que o empresário rural gere mais lucratividade no seu negócio vinculado à bovinocultura de leite. Aliado a isso, temos as ações do Programa Cidade Empreendedora, realizado pela Prefeitura e Sebrae/SC, que vêm obtendo expressivos resultados no que se refere ao desenvolvimento econômico e social nos dois municípios”.

Números da bovinocultura leiteira em Caibi

O plantel leiteiro de Caibi compreende 11.500 animais, sendo 6.500 vacas em lactação, que tem uma produção média de 12,8 litros/dia/animal. Além disso, a produção de 2018 no município foi de 30 milhões de litros, com um faturamento de mais de R$ 45 milhões. A produção do município em 2010 era de 12,5 milhões/litros/ano e passou para 30 milhões/litros/ano, o que corresponde a um aumento da produtividade de 150%.

Publicado em

Diário do Iguaçu

Jornal Regional

Projetos fortalecem cadeia produtiva do leite no Extremo Oeste

Representantes do Sebrae/SC, da Prefeitura de Itapiranga, da UCEFF e do Instituto FAI, durante formalização do convênio

O empreendedorismo rural continua em ascensão no Extremo Oeste catarinense. Desta vez quem ganhou protagonismo foi o setor de leite com o lançamento de dois importantes projetos realizados pelo Sebrae/SC com parcerias locais. Um deles é o Projeto de Desenvolvimento de Produtores da Bovinocultura Leiteira lançado em Itapiranga juntamente com a Prefeitura, UCEFF Faculdades e Instituto FAI. O outro, com o mesmo foco, foi apresentado em Caibi e tem entre os parceiros a Prefeitura, UCEFF, Secretaria Municipal de Agricultura, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Laticínios locais.

Presente nos dois eventos, o diretor técnico do Sebrae/SC, Luc Pinheiro, destacou que o princípio do desenvolvimento de qualquer negócio, seja na área rural ou urbana, é aumentar a produtividade. Segundo ele, a bacia leiteira de Itapiranga que já vem se desenvolvendo há um bom tempo com resultados expressivos precisa dar um salto. “Isso vem com inovação e tecnologia não somente de maquinário, mas de gestão e processos, o que é fundamental para alcançar melhores índices de produtividade. Qualquer avanço que ocorra em produtividade gera, consequentemente, um ganho direto no bolso de quem empreende e esse é o princípio que queremos: buscar melhores ganhos para ter melhores sustentos aos negócios”.

Luc Pinheiro complementou, ainda, que no atual cenário que marca a saída de um processo de crise e com o avanço econômico que se vislumbra, nada é mais importante que a valorização desses produtores que estão querendo melhorar sua condição de vida. “A economia promete um crescimento e nós precisamos estar preparados”.

Na visão do prefeito de Itapiranga, Jorge Welter, essa parceria do município com o Sebrae/SC, Cidade Empreendedora, Instituto FAI e a UCEFF vem ao encontro de uma política de desenvolvimento do setor agropecuário, principalmente, na atual fase do setor do leite. “Essas certificações de propriedades livres de tuberculose e brucelose são fundamentais para que o produtor tenha a garantia de obter um excelente produto, além da condição de poder negociar preço e venda de um item que está livre de tuberculose e brucelose”.

O prefeito complementou que os projetos surgiram para fomentar o desenvolvimento do município com a bacia leiteira e promover o movimento econômico com a venda de um produto melhor, promover o movimento econômico, mas principalmente cuidar da sanidade animal de forma que exista condições de apresentar um rebanho de qualidade em Itapiranga. “O projeto consolida as ações do Cidade Empreendedora. É mais uma etapa de tantas que fizemos e tantas que ainda temos pela frente. É a eficiência da condição que o Sebrae nos dá para melhorar o desenvolvimento econômico e sustentável do nosso município”, conclui o prefeito.

Ações desenvolvidas

Em 2018, foi realizado o projeto de consultoria em reprodução e qualidade de leite Piracanjuba, com 78 empresários rurais beneficiados. Também foi executado o projeto de saneamento em gado de leite de Itapiranga, com a participação de 44 produtores.

Para 2019, estão previstas duas ações em Itapiranga, com investimento de aproximadamente R$ 310 mil. O primeiro é sobre saneamento, atualização e inscrição no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que abrangerá 1.192 horas de consultoria tecnológica em gado de leite no município para 61 empresários rurais. O segundo é a conclusão do projeto de saneamento com certificação das propriedades como livres de brucelose e tuberculose, que beneficiará 42 empresários rurais com 1.176 horas de consultoria e terá acompanhamento de 2.120 animais.

Números da bovinocultura leiteira em Itapiranga

O plantel leiteiro de Itapiranga compreende 20.400 animais, o que corresponde a 69,30% do rebanho do município, sendo 17.000 vacas em lactação, que têm uma produção média de 12,65 litros/dia/animal.

“Os números do setor impressionam ainda mais se comparados com a produção média mundial que é de 9,66 litros/dia/animal, conforme o Instituto de Estudos Pecuários (IEPEC), e da produção média brasileira que é de 4,38 litros/dia/animal, segundo o Sistema de Inteligência Setorial (SIS). Além disso, a produção de 2018 no município foi de 64,5 milhões de litros, com um faturamento de mais de R$ 80,6 milhões”, enalteceu o consultor credenciado ao Sebrae/SC, Lazie De Col.

Outro dado que comprova a importância econômica do setor para Itapiranga é a expansão da produção de litros de leite/ano, mesmo com a redução no número de produtores que desenvolveram a atividade nos últimos 10 anos. Segundo De Col, em 2007 exerciam a atividade 900 empresários rurais que tinham uma produção média de 30 milhões de litros/ano, já em 2018 o número de produtores reduziu para 662 e a produção dobrou para 64 milhões de litros/ano.

Desenvolvimento da bacia leiteira de Caibi

O terceiro projeto refere-se à certificação de propriedade livre de brucelose e tuberculose, com a participação de 32 produtores e acompanhamento de 2.500 animais. A iniciativa é do Sebrae/SC com recursos do Sebraetec, da Prefeitura Municipal de Caibi por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e laticínios locais. Estão previstas ações como a implantação de medidas de qualidade do leite e certificação de brucelose e tuberculose conforme legislação vigente. O objetivo é aumentar a lucratividade do produtor e majorar o preço médio de venda do produto por qualidade e comprovação de sanidade.

No projeto de saneamento para brucelose e tuberculose serão necessárias implantar as seguintes medidas: atendimento de legislação específica; melhoria da posição no mercado; aperfeiçoamento da qualidade do processo e da qualidade do produto; aumento no percentual de faturamento e lucro líquido e diferenciação do produto ou serviço. “O processo de certificação necessita de gestão de projetos, controle e planejamento, conforme normativa. Por isso, é fundamental o comprometimento e entendimento do empreendedor”, explicou o consultor credenciado ao Sebrae/SC.

O prefeito de Caibi, Elói José Libano, ressaltou que o programa valorizará as propriedades com a certificação e as adequações para melhoria na qualidade do leite produzido, o que resultará na ampliação no preço pago ao empresário rural. Outro reflexo benéfico será a credibilidade do setor perante ao mercado. “Nosso objetivo é auxiliar na expansão da bacia leiteira, uma vez, que temos muitos investidores para o segmento. Com melhoria da qualidade e da gestão das propriedades todos ganham: produtor, indústria, município e consumidor final”, destacou.

O gerente regional Extremo Oeste do Sebrae/SC, Udo Trennepohl, explicou que nos dois municípios foram utilizados recursos do Sebraetec, visando desenvolver a cadeia leiteira com foco na melhoria da rentabilidade das propriedades. “Tudo isso para que o empresário rural gere mais lucratividade no seu negócio vinculado à bovinocultura de leite. Aliado a isso, temos as ações do Programa Cidade Empreendedora, realizado pela Prefeitura e Sebrae/SC, que vêm obtendo expressivos resultados no que se refere ao desenvolvimento econômico e social nos dois municípios”.

Números da bovinocultura leiteira em Caibi

O plantel leiteiro de Caibi compreende 11.500 animais, sendo 6.500 vacas em lactação, que tem uma produção média de 12,8 litros/dia/animal. Além disso, a produção de 2018 no município foi de 30 milhões de litros, com um faturamento de mais de R$ 45 milhões. A produção do município em 2010 era de 12,5 milhões/litros/ano e passou para 30 milhões/litros/ano, o que corresponde a um aumento da produtividade de 150%.

Fonte: Jornal Regional

Mais convênios com o Sebraetec

Produção de leite no município recebe atenção. Parceria firmada entre Sebrae, Instituto IFAI e Município de Itapiranga contempla 102 propriedades produtoras de leite. O investimento gira na marca dos R$ 300 mil. Próximo de 6.000 cabeças de gado passarão por exames, em duas etapas.

A intenção deste importante convênio é certificar as propriedades cadastradas no programa como livres de tuberculose e brucelose bovina. Os benefícios diretos desta certificação é a melhor remuneração do produtor na venda do leite e garantia de qualidade ao consumidor. A brucelose bovina é causada pela bactéria Brucella abortus, e a tuberculose, causada pela bactéria Mycobacterium bovis. Ambas são zoonoses, podendo infectar e levar à doença no homem, com grande importância para a saúde pública.

As assinaturas dos contratos ocorreram em encontro realizado na tarde de quarta-feira, 07, na sede da Uceff, com presença maciça dos produtores inscritos e representantes das entidades e instituições envolvidas no desenvolvimento do programa. O prefeito Jorge Welter enfatizou que a adesão do Município ao Programa Cidade Empreendedora, do Sebrae, abriu a possibilidade da realização do convênio entre o Sebraetec e o Instituto IFAI, ligado à Uceff.

Fonte: https://itapiranga.atende.net/#!/tipo/noticia/valor/203

IFAI assina primeiros convênios com o Sebraetec

Na última semana (23/10) o Instituto de Desenvolvimento FAI (IFAI) assinou os primeiros convênios com o Sebraetec desde a formalização da parceria em abril de 2018. Conforme a presidente o IFAI, professora Nathalia Berger Werlang, os primeiros projetos de consultoria aprovados no Sebraetec preveem a aplicação de R$ 186 mil, divididos em duas demandas.

Com a prefeitura de Itapiranga, através da secretaria municipal de Agricultura, foi assinado termo de cooperação para o desenvolvimento da primeira etapa de certificação de 46 propriedades livres de brucelose e tuberculose bovina. O Sebraetec vai subsidiar 70% dos custos da consultoria e procedimentos dos exames, cabendo o valor restante ao produtor. O órgão vai disponibilizar R$ 100 mil para o trabalho de campo que tem por objetivo aumentar a lucratividade do produtor, elevando o preço médio de venda do leite por qualidade e comprovação de sanidade.

Já o segundo termo foi assinado com a Piracanjuba, para desenvolvimento de consultoria tecnológica para um grupo de 80 produtores rurais vinculados ao Laticínio, com o objetivo de implantar inovação tecnológica na produção de leite. “A parceria oportuniza atender e subsidiar soluções que auxiliarão as propriedades que fornecem matéria-prima para a Piracanjuba implementem iniciativas inovadoras, visando os melhores resultados possíveis para que mantenham a competitividade e a sustentabilidade de seus negócios”, observa o coordenador regional Extremo Oeste do Sebrae/SC, Udo Trennepohl.

“Estes são os primeiros projetos que operacionalizamos em 2018. A partir do ano de 2019 esperamos atuar em outras áreas de gestão, principalmente no que se refere a profissionalização e inovação em pequenas e médias empresas de comércio e prestação de serviços do nosso município e região”, destaca a presidente do IFAI.

O Sebraetec é um programa de consultoria que contempla serviços especializados e customizados para implementar soluções em sete áreas: design, produtividade, propriedade intelectual, qualidade, inovação, sustentabilidade e serviços digitais. O programa foi criado para que os pequenos negócios possam inovar por meio do acesso à mão de obra especializada e trabalho com foco para a melhoria de processos e produtos já existentes, bem como para a introdução de inovações e tecnologias.