Itapiranga tem projeto pioneiro para eliminação da brucelose e tuberculose PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Qui, 05 de Março de 2020 13:58

O município desenvolve o maior projeto do SebraeTec na área do agronegócio em Santa Catarina

SEBRAE2020EXTREMOOESTE-RENOVAÇÃO-BACIALEITEIRA                     05/03/2020

Aumentar a lucratividade do produtor, por qualidade e comprovação de sanidade é o objetivo das consultorias tecnológicas em gado de leite no município de Itapiranga, no extremo oeste catarinense. O projeto é desenvolvido em parceria do Sebrae/SC, da Prefeitura de Itapiranga e do Instituto de Desenvolvimento Regional FAI (IFAI), com o apoio da Cidasc. O termo de cooperação técnica foi renovado, nesta semana, no gabinete do prefeito Jorge Welter. Os recursos para execução são provenientes do Programa de Consultoria Tecnológica do Sebrae (SebraeTec).

 

As consultorias consistem em avaliar a sanidade, revisão dos cadastros do plantel no órgão competente, a conferência do inventário de rebanho, a coleta de amostras de sangue para o diagnóstico laboratorial, verificação da reação e finalização do laudo conclusivo negativo para iniciar o processo de certificação da propriedade como livre de tuberculose e brucelose.

 

Entre os benefícios das ações estão atendimento da legislação específica; garantia de saúde pública (humana e animal); melhora no posicionamento de mercado, da qualidade do processo, do produto; segurança nos investimentos; modernização e ampliação da atividade; aumento no faturamento e diferenciação do produto/serviço.

 

Conforme o diretor técnico do Sebrae/SC Luc Pinheiro esse é o maior projeto do SebraeTec na área do agronegócio no Estado. “Os investimentos representam o quanto acreditamos nesse projeto, que tem proporcionado excelentes resultados. E já começamos a refletir sobre os desdobramentos seja para auxiliar os produtores a comercializarem as matrizes para produção de leite (novilhas) ou contribuir no aumento da competitividade dos produtos lácteos”, analisou.

 

“A renovação dessa parceria é mérito do trabalho desenvolvido. Itapiranga criou um capital social que dá embasamento para um futuro crescimento promissor. Isso é fruto do entendimento da Administração Municipal sobre a importância de ser indutora do desenvolvimento. Parabenizo as lideranças locais por ter essa visão ampliada” enfatizou o gerente regional do Sebrae/SC no extremo oeste Udo Martin Trennepohl.

 

De acordo com o prefeito de Itapiranga, Jorge Welter, é comum ver nas propriedades rurais dos municípios filhos dos empresários rurais formados em Administração, Agronomia ou Medicina Veterinária. “Isso comprova o interesse em realizar a sucessão familiar e aprimorar as atividades desenvolvidas nas propriedades. Além disso, oportuniza mostrar que produzimos com excelência”, relatou.

 

Para o prefeito, os projetos executados para o desenvolvimento dessas cadeias produtivas não são para fazer de conta. “Decidimos utilizar os recursos para dar atenção ao setor produtivo e estamos focados em uma gestão de resultados. E começamos a colher esses frutos, pois em 2018 o município teve um movimento econômico de R$ 842 milhões, os dados de 2019 não foram concluídos, mas chegaremos aos R$ 900 milhões e para 2020 a meta é atingirmos R$ 1 bilhão, ganhos expressivos para um município com aproximadamente 17 mil habitantes”, enalteceu.

 

A bovinocultura leiteira de Itapiranga é composta por um plantel de 20.400 animais, sendo 16.300 vacas em lactação, com uma produção média de 12,27 litros/dia/animal, superior a média mundial que é de 9,66 litros/dia/animal e da média brasileira que é de 4,38 litros/dia/animal. Em 2018, a produção local foi de 60 milhões litros de leite, o que representou um faturamento de R$ 87 milhões.

 

RESULTADOS

 

No município de Itapiranga, em 2007, exerciam a atividade de bovinocultura leiteira 900 empresários rurais que produziram 30 milhões de litros/ano. Com o passar dos anos foi registrada uma redução do número de propriedades que exercem a atividade: em 2019 baixou para 624, porém ocorreu uma elevação na produtividade para 60 milhões de litros/ano.

 

As ações desenvolvidas no município para o fortalecimento dessa cadeia produtiva compreendem: consultoria de reprodução de gado de corte; certificação da propriedade livre da brucelose e tuberculose do gado de leite; e inovação e saneamento em gado de leite.

 

As 111 empresas rurais atendidas no saneamento e na certificação em 2019 obtiveram receita adicional de R$ 320 mil. Para este ano a meta é atender 300 empresários rurais com o projeto de “Desenvolvimento, saneamento e certificação da propriedade livre da brucelose e da tuberculose bovina na bacia leiteira”, com um investimento de R$ 450 mil. Esse esforço impactará em incremento no faturamento de R$ 900 mil/ano, segundo o secretário municipal de agricultura e meio ambiente Herwald Otto Trebien.

 

“É de extrema importância seguir com esse trabalho para manter o desenvolvimento do agronegócio. Nossa região precisa realizar ações que impactem o mercado e para ampliar a renda do empresário rural, que se sentirá motivado a continuar com a aplicação desses processos na propriedade, a fazer  investimentos e aprimorar cada vez mais sua atividade. Por isso, defendemos que o processo de certificação não é apenas fazer exames, mas sim levar conhecimentos ao campo”, justificou o consultor credenciado ao Sebrae/SC Lazie De Col.

Última atualização em Qui, 05 de Março de 2020 14:27
 
Copyright © 2020 ..: Instituto de Desenvolvimento Regional FAI :.. - desenvolvido por Sadi Assessorias